Registo | Contactos

A maior chuva de estrelas do ano

12 Dez 2012 - 14h55 - 750 caracteres

Na próxima noite de 13 para 14 de Dezembro, com a Lua em fase Nova e se o tempo o permitir, poderemos ver por volta das 23h30, o pico da chuva de estrelas das Geminíadas. Ativa entre 4 e 17 de Dezembro esta chuva, que tem um máximo previsto de 120 meteoros por hora (em céus escuros) para a noite indicada.

A chuva das Geminídeas deve o seu nome à constelação Gémeos, onde está situado o radiante (o ponto no céu de onde parecem vir os meteoros).

De todos os rastos de detritos que a Terra encontra durante a sua órbita ao redor do Sol, o trilho das “Geminídeas” é de longe o mais massiva devido à dimensão das “poeiras rochosas” que vão penetrar na atmosfera terrestre e provocar um antecipado e maravilhoso fogo de artifício atmosférico de final de ano.

Boas observações.

António Piedade


© 2012 - Ciência na Imprensa Regional / Ciência Viva


António Piedade

António Piedade é Bioquímico e Comunicador de Ciência. Publicou mais 500 artigos e crónicas de divulgação científica na imprensa portuguesa e 20 artigos em revistas científicas internacionais. É autor de sete livros de divulgação de ciência: "Íris Científica" (Mar da Palavra, 2005 - Plano Nacional de Leitura),"Caminhos de Ciência" com prefácio de Carlos Fiolhais (Imprensa Universidade de Coimbra, 2011), "Silêncio Prodigioso" (Ed. autor, 2012), "Íris Científica 2" (Ed. autor, 2014), "Diálogos com Ciência" (Ed. autor, 2015) prefaciado por Carlos Fiolhais, "Íris Científica 3" (Ed. autor, 2016), "Íris Científica 4" (Ed. autor, 2017).


Veja outros artigos deste/a autor/a.
Escreva ao autor deste texto

Ficheiros para download Jornais que já efectuaram download deste artigo