Registo | Contactos

Novos meios disponíveis para o rastreio do cancro da mama

26 Mar 2013 - 17h54 - 2.500 caracteres

O Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC-NRC) inaugura no próximo dia 28 de março, quinta-feira, pelas 10h30, no Centro de Saúde Dr. Arnaldo Sampaio, em Leiria, a Primeira Unidade Móvel de Mamografia em Sistema de Imagem Digital Direta. Com o objetivo da deteção precoce do cancro da mama com equipamentos de mamografia digital de última geração, este novo meio corresponde a um investimento da LPCC superior a 250 mil euros, co-financiado pela Direção-Geral da Saúde.

A nova Unidade Móvel de Mamografia representa uma inovação tecnológica que evoluiu desde o sistema analógico, para o sistema digital indireto e que culminou agora no sistema com o recurso à imagem digital direta. Este novo sistema coloca o Programa de Rastreio na vanguarda da imagem digital, fator crucial para o diagnóstico precoce do cancro da mama.

 

Cancro da Mama

O cancro da mama é um problema de saúde pública que, apesar de não ser dos mais letais, tem uma alta incidência e mortalidade, sobretudo na mulher. Atualmente em Portugal, com uma população feminina de cerca de 5,5 milhões, surgem 4.500 novos casos de cancro da mama por ano, ou seja, 12 novos casos por dia, morrendo quatro mulheres por dia com esta doença.

 

O exame clínico e a mamografia são meios para um diagnóstico precoce

Nas atividades relativas à prevenção do cancro da mama, destaca-se o Rastreio de Cancro da Mama iniciado na Região Centro do País em 1990, que tem permitido o diagnóstico de milhares de cancros em fase inicial e, consequentemente, curáveis ou controláveis.

Com o Rastreio do Cancro da Mama pretende-se um diagnóstico precoce, descobrindo tumores muito pequenos, muitas vezes não palpáveis e só vistos em mamografia ou ecografia ou em fase evolutiva não invasiva permitindo assim tratamentos menos invasivos e menos traumatizantes e uma sobrevida livre de doença e global mais longa.

 

Programa de Rastreio de Cancro da Mama

O Programa de Rastreio de Cancro da Mama (desenvolvido em estreita colaboração com os Cuidados de Saúde Primários) cobre atualmente toda a Região Centro do País (77 concelhos), bem como os distritos de Beja, Bragança, Évora, Portalegre, Santarém, Viana do Castelo e Vila Real e concelhos dos distritos de Braga, Porto, Lisboa e Setúbal. Utiliza sobretudo unidades móveis que se deslocam de 2 em 2 anos aos concelhos e unidades fixas. São enviadas cartas-convites às mulheres em idade rastreável (45-69 anos) inscritas nas Unidades de Saúde para realizar uma mamografia (exame gratuito).

 

Fonte: Ideias Concertadas

Ciência na Imprensa Regional – Ciência Viva


© 2013 - Ciência na Imprensa Regional / Ciência Viva


António Piedade

António Piedade é Bioquímico e Comunicador de Ciência. Publicou mais 500 artigos e crónicas de divulgação científica na imprensa portuguesa e 20 artigos em revistas científicas internacionais. É autor de sete livros de divulgação de ciência: "Íris Científica" (Mar da Palavra, 2005 - Plano Nacional de Leitura),"Caminhos de Ciência" com prefácio de Carlos Fiolhais (Imprensa Universidade de Coimbra, 2011), "Silêncio Prodigioso" (Ed. autor, 2012), "Íris Científica 2" (Ed. autor, 2014), "Diálogos com Ciência" (Ed. autor, 2015) prefaciado por Carlos Fiolhais, "Íris Científica 3" (Ed. autor, 2016), "Íris Científica 4" (Ed. autor, 2017).


Veja outros artigos deste/a autor/a.
Escreva ao autor deste texto

Ficheiros para download Jornais que já efectuaram download deste artigo