Registo | Contactos

Arrotos e outras coisas muito importantes

12 Set 2013 - 14h55 - 4.723 caracteres

Acaba de ser publicado na colecção Gradiva Júnior o livro com o divertido título “Consegues Arrotar Muito Alto?”. O livro é de Glenn Murphy e a tradução do autor destas linhas.

Glenn Murphy é um divulgador de ciência que trabalhou no Museu de Ciência de Londres e que tem escrito para o público juvenil. Este é o terceiro livro de Murphy publicado na Gradiva Junior. Os anteriores foram “Porque é que o ranho é verde?” e “Coisas que te fazem borrar de medo”.

Em “Consegues Arrotar Muito Alto?” o autor explica, de forma divertida e rigorosa, diversos assuntos da ciência e do mundo em que vivemos. Faz isso através de um diálogo com um jovem que o provoca com questões muito pertinentes fazendo justiça ao subtítulo do livro: “e outras perguntas (e respostas) extremamente importantes”. Glenn Murphy escreve numa linguagem coloquial e juvenil mas que facilmente cativa leitores de todas as idades. Até porque os assuntos tratados neste livro interessam a todos e despertam a curiosidade, elemento essencial para uma melhor e eficaz transmissão de conhecimentos.

O diálogo original flui ao longo de 265 páginas com perguntas e respostas agrupadas em cinco capítulos. O primeiro intitula-se “Ciência sobre mim” e nele são respondidas questões sobre o arroto (que dá título ao livro), sobre traques, soluços, respiração, febre dos fenos, coisas picantes, entre outros assuntos de biologia que nos vai explica.

“Caos climático” é o título do segundo capítulo. Nele é discutido o aquecimento global, a mudança do clima, o efeito de estufa de forma pormenorizada e preocupada. Mas fala-se também sobre o efeito dos traques das vacas na mudança climática em curso e sobre a maneira de usar cocó de animais para produzir electricidade!

No terceiro capítulo o autor trata de responder a questões “em movimento”. Desde porque é que os grandes navios não se afundam, passando pelos aviões e viagens espaciais, até às novas tecnologias de levitação magnética que permitem que comboios flutuem sobre carris e atinjam enormes velocidades. Neste capítulo o leitor (que também se está a mover com a Terra) é envolvido em perguntas e respostas que lhe permitem aprender muitas coisas curiosas sobre a física do movimento e das coisas que se movem no nosso mundo contemporâneo.

O quarto capítulo abre uma janela sobre “enigmas” que desafiam o conhecimento científico actual. Saliente-se a preocupação de Glenn Murphy em desmontar muitas ideias feitas que alimentam as pseudo-ciências e que infelizmente estão a crescer, quais ervas daninhas a iludir a curiosidade humana. Neste capítulo o autor responde esclarecedoramente a questões sobre a inteligência humana, sobre a memória, sobre se podemos aprender a ler pensamentos e a mover objectos, sobre a diferença entre um computador e um cérebro, sobre o que é um déjà-vu.

No quinto e último capítulo trata-se algumas “grandes questões”. E com elas surgem respostas inesperadas que satisfazem a nossa curiosidade e que cultivam o espanto. Existirá alguma coisa mais quente do que o Sol? Qual é a coisa mais rápida à face da Terra? Qual será o animal mais resistente do mundo? E porque é que a água é molhada? Não há nada mais molhado do que ela?

Outro aspecto que torna a leitura deste livro agradável é que o leitor pode abrir o livro em qualquer pergunta, por ventura numa em que a sua curiosidade tenha tropeçado, e seguir a resposta sem qualquer necessidade de ter lido as outras partes do livro. Para além disso, as perguntas são estimulantes e as respostas estão explicadas de forma muito original, despidas de “partes chatas” e com muitos factos interessantes. O tom coloquial que o autor usa permite uma leitura fluida e que deixa boas dicas para conversas entre colegas e amigos.

Um livro que dispõe bem, provocando aqui e acolá uma boa gargalhada e que, apesar de se dirigir ao público juvenil, se aconselha a todas as idades. Sorria com boa ciência.

António Piedade 


© 2013 - Ciência na Imprensa Regional / Ciência Viva


António Piedade

António Piedade é Bioquímico e Comunicador de Ciência. Publicou mais 500 artigos e crónicas de divulgação científica na imprensa portuguesa e 20 artigos em revistas científicas internacionais. É autor de sete livros de divulgação de ciência: "Íris Científica" (Mar da Palavra, 2005 - Plano Nacional de Leitura),"Caminhos de Ciência" com prefácio de Carlos Fiolhais (Imprensa Universidade de Coimbra, 2011), "Silêncio Prodigioso" (Ed. autor, 2012), "Íris Científica 2" (Ed. autor, 2014), "Diálogos com Ciência" (Ed. autor, 2015) prefaciado por Carlos Fiolhais, "Íris Científica 3" (Ed. autor, 2016), "Íris Científica 4" (Ed. autor, 2017).


Veja outros artigos deste/a autor/a.
Escreva ao autor deste texto

Ficheiros para download Jornais que já efectuaram download deste artigo