Registo | Contactos

Onde estás curiosidade?

06 Dez 2011 - 12h02 - caracteres

Onde está a cápsula espacial que transporta o robô “Curiosity” – o robô-cientista-, lançada no passado dia 26 de Novembro, do Cabo Canaveral, na Florida (USA), com destino ao planeta Marte?

O seu encontro com a superfície de Marte está previsto para o dia 6 de Agosto de 2012, depois de uma viagem com uma duração de cerca 254 dias.

A sua trajectória, o “caminho” que percorrerá (incluindo o que já percorreu desde o seu lançamento) através do espaço até Marte, foi programada meticulosamente pelos cientistas e engenheiros do Laboratório de Propulsão a Jacto da NASA (Agência Espacial Norte Americana). Vários aspectos foram considerados neste planeamento. Em primeiro lugar diga-se que o módulo, a nave espacial com o robô, que entrará na atmosfera marciana, terá que estar a 6 de Agosto e à hora certa, no local do espaço em que o planeta Marte vai estar no seu movimento de translação em redor do Sol.

É claro que o leitor não está à espera que Marte pare, interrompa o seu movimento orbital solar, para facilitar os cálculos baseados nas leis do movimento deduzidas por Newton a partir da atracção gravítica entre corpos com massa. Marte vai continuar a mover-se indiferente a este projecto humano com massa, e as influências deste na sua orbita podem considerar-se negligenciáveis tendo em conta a desproporção entre as massas do planeta e as da cápsula Centauro mais o módulo com o robô-cientista que transporta.

Foram previstos seis ajustes ou correcções na trajectória da cápsula Centauro. O primeiro estava previsto para o próximo dia 10 de Dezembro, mas a monitorização continua do seu movimento relativo mostra que Centauro segue sem desvios a rota digitalizada nos vários computadores que a verificam. Assim, o eventual primeiro ajuste foi adiado para finais de Dezembro ou mesmo já no início de Janeiro de 2012.

Uma das missões científicas mais interessantes do Curiosity é o de verificar se detecta, no local, ou melhor, na Cratera Gale na superfície de Marte onde vai “martear”, compostos de carbono característicos da vida tal qual a conhecemos na Terra.

Para eliminar a possibilidade de intrujices, ou seja, de contaminações com moléculas orgânicas transportadas pela cápsula Centauro, e que a ela tenham aderido desde o seu lançamento e ao longo dos poucos minutos que demorou a atravessar a atmosfera terrestre para sair do nosso planeta (há vida na atmosfera!), foi planeada uma rota para a sua trajectória de modo a que a cápsula não se encontre com o planeta Marte. Ou seja, a cápsula que transporta o equipamento científico mais elaborado e caro da história da nossa aventura de descoberta espacial vai falhar de propósito Marte, passando a cerca de 56 mil Km ao lado dele.

Mas não se preocupe que o módulo com a nave espacial que encaminhará o robô Curiosity, devidamente esterilizado de vida à base de carbono, será ejectado no momento exacto e na trajectória devida para que poise com a suavidade de uma pena libertadora na superfície marciana da Cratera Gale.

Por estes dias, o engenho humano com mensagens de Obama, que viaja a uma velocidade de cerca de 12 mil Km/h em relação à Terra (178700 km/h em relação ao Sol!) já percorreu cerca de 18 milhões dos 567 milhões de km do seu percurso total até encontrar Marte. Saiba mais em http://mars.jpl.nasa.gov/msl/.


© 2011 - Ciência na Imprensa Regional / Ciência Viva


António Piedade

António Piedade é Bioquímico e Comunicador de Ciência. Publicou mais 500 artigos e crónicas de divulgação científica na imprensa portuguesa e 20 artigos em revistas científicas internacionais. É autor de sete livros de divulgação de ciência: "Íris Científica" (Mar da Palavra, 2005 - Plano Nacional de Leitura),"Caminhos de Ciência" com prefácio de Carlos Fiolhais (Imprensa Universidade de Coimbra, 2011), "Silêncio Prodigioso" (Ed. autor, 2012), "Íris Científica 2" (Ed. autor, 2014), "Diálogos com Ciência" (Ed. autor, 2015) prefaciado por Carlos Fiolhais, "Íris Científica 3" (Ed. autor, 2016), "Íris Científica 4" (Ed. autor, 2017).


Veja outros artigos deste/a autor/a.
Escreva ao autor deste texto

Ficheiros para download Jornais que já efectuaram download deste artigo